Últimas Notícias

img1

Parceria apoia Sericicultores de Luiziana

 

Foi realizado no dia de hoje, 8 de fevereiro, a entrega de adubo formulado a 20 sericicultores do município, que receberam um saco de 50 k por hectare de amora cultivada. A ação faz parte de uma reinvindicação da Abraseda e dos Sericultores realizada no último Encontro de produtores em 2019 e foi realizada pelo Governo do Estado do Paraná, através da Seab- Secretaria de Agricultura do Paraná e Idr-Paraná.

Segundo a Eng. Agrônoma do IDR- Paraná, Laura Helena Goulart da Silva, a seda é uma importante atividade econômica no município, principalmente para o agricultor familiar.

A  Sericicultura (criação do bicho da seda) foi introduzida no município de Luiziana em 1995 através dos técnicos (Clóvis e Laura) da Antiga Emater e  hoje IDR-Paraná e com apoio do município de Luziana. Os primeiros contatos com criação do bicho da seda se deu através de excursão de produtores a outros municipios que já exploravam a atividade. Com objetivo de trazer novas alternativas de renda aos agricultores que tinham como exploração na época as culturas do algodão, café e pecuária de leite aonde estas atividades vinham passando por problemas como baixa remuneração pelo produto (preço), clima (geada e estiagem), doenças e pragas, mão-de-obra, etc. Diante destes problemas, viu-se, na sericicultura a atividade adequada para substituir estas culturas que estavam em extinção no município. Após reuniões, excursões e conhecimento da criação do bicho da seda, um grupo de 10 produtores foi organizado pela Emater para iniciar na atividade e destes 10 agricultores só 6 comprou a ideia e iniciou na atividade da seda (Noé de Oliveira e sua esposa Iracema de Oliveira, Aristeu e Joel Perteline (in momoriam) Sebastião Filomeno (in momoriam), Elizeu Diniz Medeiros e Doraci José Nogueira.

No início o grupo passou por muitas dificuldades, como na aquisição das primeiras mudas de amoreira, comercialização de casulos com comercialização mensal na indústria de fiação da Bratac em Londrina, a assistência técnica aos produtores também era uma vez no mês. Nos anos seguintes, várias iniciativas foram realizadas e conquistadas como a criação da APESOL EM 1995 (Associação dos Produtores de Seda Organizado de Luiziana), elaboração de projeto para busca de recurso público federal para construção do depósito de recebimento de casulo e entrega de insumos, vinda do agente técnico da Bratac para região, criação do fundo rotativo com recurso do município e aprovado pela câmara de vereadores. No auge da atividade, chegamos ter mais de 50 produtores, atualmente são 20. Para que tudo isso ter acontecido e continuar nos dias atuais, graça a  parceria entre o  município de Luiziana, IDR-Paraná e Fiação de Seda Bratac.

A Sericicultura é uma importante atividade produtiva para o Estado do Paraná, sendo um bom negócio para agricultura familiar e entra como uma oportunidade de diversificação na pequena propriedade, com geração de renda mensal durante 9 (nove) meses do ano . Portanto é uma atividade economicamente viável, socialmente justa e ambientalmente correta, sem uso de agrotóxico, protegendo o ambiente, distribuindo renda localmente e possibilitando a permanência da família no campo com qualidade de vida e com alta densidade de renda, trazendo grandes benefícios em incremento de Valor Bruto de Produção (VBP) aos municípios e consequentemente na maior participação da Cota Parte do ICMS.

O Estado do Paraná concentra 84,6% da produção de seda do Brasil, o Noroeste é responsável por 61% desta produção. Na COMCAM, a seda está presente em 16 municípios, 161 barracões, 170 sericicultores, produção de 182.967 kg de casulos, área de 312 há com rendimento de 587 kg/há de casulo.

Em Luiziana, são 20 barracões, 19 sericicultores, produção de 22.153 kg, área de 32,0 há e rendimento de 693 kg/há de casulo.

 

Fonte - Unidade de extensão rural do IDR-Paraná - Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná- Iapar/Emater de Luiziana.






Postar um comentário

0 Comentários