Últimas Notícias

img1

Na véspera do embarque, alunos da rede pública estão ansiosos para conhecer o Canadá

 

“Esse é um programa idealizado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior. Desde 2019, antes de assumir, já estava no plano de governo dele, mas aí veio a pandemia e tivemos que postergar. Agora, os 100 estudantes embarcam para o Canadá. Vai ser uma experiência única para o enriquecimento cultural e acadêmico deles”, afirmou Roni Miranda Vieira, diretor de Educação da Secretaria. “A gente espera que eles sejam grandes multiplicadores, já que vão retornar para suas escolas, para suas cidades, trazendo toda a sua experiência”.

Uma das selecionadas pelo programa é Yasmin Putinati Moraes, aluna do Colégio Estadual Desembargador Antônio Franco Ferreira da Costa, de Icaraíma, no Noroeste do Estado. A jovem não esconde a ansiedade às vésperas do embarque.

“Ao mesmo tempo que estamos animados, temos um pouco de medo, mas a expectativa é muito alta. Vai ser uma experiência diferente que poucas pessoas têm a oportunidade de passar. Vamos conhecer pessoas novas, cultura nova, uma alimentação diferente, escolas que funcionam de maneira diferente, é uma sensação única. Acho que só quem passa por isso sabe como é”, declarou.

Éliton Matheus de Souza, aluno do Colégio Estadual Arnaldo Busato, em Coronel Vivida, no Sudoeste do Paraná, ressalta que se não fosse o programa, não conseguiria fazer um intercâmbio. “As condições da minha família não são favoráveis a uma viagem desse tamanho que envolve tantos recursos. O Governo está nos dando uma grande ajuda para a realização de um sonho”, enfatizou.

Já a jovem Isabela Beatriz Moreira Bueno, que estuda no Colégio Professora Regina Tokano, em Uraí, acredita que retornará da experiência transformada. “Vou voltar bem diferente, com um sonho realizado, e espero que falando inglês fluente, com uma nova bagagem cultural”, disse.

Para o coordenador de Articulação Acadêmica da Seed-PR, Marlon de Campos Mateus, o projeto está dando um reconhecimento merecido e uma oportunidade única para os alunos mais dedicados do Estado. “Nós estamos muito felizes. O Governo do Estado está oferecendo oportunidade para complementar esse empenho dos nossos estudantes. É um passo muito importante, unindo os seus esforços com a oportunidade que estão recebendo”, declarou.

A ideia é que o programa tenha edições futuras e mande para o Exterior alunos de escolas de todas as regiões do Estado. “É uma porta que se abre. Nós vamos trazer essa perspectiva de intercâmbio para educação básica do Estado do Paraná. Hoje, são 100 estudantes, mas vamos chegar a 2 mil, 10 mil, 50 mil estudantes. São os primeiros de um grande grupo que vão fazer intercâmbio pelo Governo do Estado”, ressaltou o diretor.

PREPARATIVOS – A etapa final dos preparativos para o intercâmbio de seis meses no Canadá foi concretizada em São Paulo, na última semana de janeiro, com a coleta de biometria para o visto canadense. “Toda a parte técnica e operacional foi feita com muito cuidado e empenho. Tivemos dificuldades com a pandemia, mas a gente vem administrando isso com muita atenção e muito cuidado, com a equipe da Secretaria e todo o pessoal que vem trabalhando em prol dos nossos alunos”, disse Mateus.

Nesta terça-feira (8), os estudantes receberam da Secretaria da Educação e do Esporte um kit com roupas composto por bota e jaqueta específicas para o frio intenso do país. “A gente cuidou de todos os momentos, desde o agasalho, da bota, do lanchinho deles, são nossos tesouros que vamos enviar para o Canadá”, disse o diretor.

O Estado arcou com todas as despesas como emissão de passaportes e vistos, exames médicos, passagens aéreas e terrestres, transporte, hospedagem, seguro viagem e saúde, além dos custos relacionados à parte acadêmica, como taxa de matrícula, tradução juramentada da documentação escolar, mensalidade da escola, material didático e uniforme.

Além disso, os intercambistas também terão uma ajuda de custo mensal de R$ 800. Serão seis parcelas da bolsa-intercâmbio, sendo a primeira (bolsa-instalação) para cobrir despesas iniciais na chegada, e as demais, repassadas mês a mês.

Para viabilizar a documentação, o Estado fez uma parceria com oito delegacias, que aceleraram ao máximo as etapas. Além disso, a Seed contratou uma empresa que ficou responsável por todo o auxílio aos estudantes. Um técnico foi disponibilizado para cada núcleo regional. A empresa responsável por assessorar os alunos disponibilizará uma equipe para acompanhá-los durante a chegada ao país e auxiliá-los com os desafios do novo idioma.

  • Manual auxiliará projetos da sociedade no acesso a recursos do Fundo de Meio Ambiente

  • Foto: José Fernando Ogura/AEN


    GANHANDO O MUNDO – Instituído pela Lei nº 20.009/2019, o Programa de Intercâmbio Internacional Ganhando o Mundo foi criado pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed-PR), para oferecer a estudantes do Ensino Médio uma formação em instituições de ensino estrangeiras que tenham curso equivalente ao Ensino Médio no Brasil. Os jovens foram selecionados com base em um um ranking de melhores notas entre as escolas do Estado.

    Os estudantes viajariam inicialmente em agosto do mesmo ano, no entanto, ainda no primeiro semestre, tiveram a viagem adiada para o início deste ano por conta das medidas sanitárias impostas pela pandemia. Por conta disso, o destino dos estudantes mudou, da Nova Zelândia para o Canadá.

    A seleção dos intercambistas foi feita com base na média de notas e frequência. Os critérios eram média maior ou igual a sete (7,0) em todas as matérias e frequência maior ou igual a 85%. Para chegar à pontuação final, foram somadas as médias de todas as disciplinas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) cursadas em 2020 no 9º ano.

    Para aperfeiçoar o idioma, em 2021, os selecionados tiveram acesso a um curso de inglês via aplicativo, ofertado em parceria com as universidades estaduais vinculadas à Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Foram seis módulos de 40 horas, totalizando 240h de aprendizado em um formato autoinstrutivo, baseado em desafios que consideram a perspectiva da aprendizagem por vivência social e cultural.

    FONTE: AEN

    https://www.aen.pr.gov.br/Noticia/Na-vespera-do-embarque-alunos-da-rede-publica-estao-ansiosos-para-conhecer-o-Canada

    Postar um comentário

    0 Comentários