Últimas Notícias

img1

Soja deve seguir em alta: USDA

 

,

As previsões globais apontam menor produção, esmagamento, exportações e estoques

A redução dos estoques finais de soja dos Estados Unidos deverá manter os preços elevados, aponta a TF Consultoria Agroeconômica. A conclusão é baseada nas mudanças na oferta e uso de soja dos EUA para 2021/22, que incluem maiores exportações e estoques finais mais baixos em comparação com o relatório WASDE divulgado no mês passado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos EUA). 

De acordo com o reporte, as exportações de soja foram aumentadas em 40 milhões de bushels, para 2,09 bilhões totais, com menor produção e redução das exportações para a América do Sul. Os estoques finais de soja são projetados em 285 milhões de bushels (7,75 MT), queda de 40 milhões (1,0 MT) em relação ao último mês. Segundo os analistas de mercado da TF, isso é altista para o mercado.

Com o aumento dos preços do óleo de soja, aponta o USDA, seu uso para biocombustível foi reduzido este mês: “As exportações de óleo de soja aumentam em resposta à redução do comércio global de óleo de girassol e fornecimento global de óleo vegetal mais apertado. Os preços da soja e dos produtos estão todos elevados este mês”. 

“A soja média da temporada dos EUA o preço para 2021/22 está previsto em US$ 13,25 por bushel, um aumento de 25 centavos. O preço do farelo de soja é previsão de US$ 420 por tonelada curta, um aumento de 10 dólares. O preço do óleo de soja sobe 2 centavos para 68,0 centavos por libra”, acrescenta o Departamento de Agricultura dos EUA.

WASDE MUNDO

Ainda de acordo com o USDA, as previsões globais de oferta e demanda de soja para 2021/22 incluem menor produção, esmagamento, exportações e estoques. A produção global de soja é reduzida em 10,1 milhões de toneladas para 353,8 milhões. A safra do Brasil foi reduzida em 7,0 milhões de toneladas para 127 milhões, a Argentina foi reduzida em 1,5 milhão de toneladas para 43,5 milhões, o Paraguai foi reduzido em 1,0 milhão de toneladas para 5,3 milhões e o Uruguai é reduzido em 0,6 milhões a 2,0 milhões. 

“Enquanto o esmagamento global de soja foi reduzido em 5,0 milhões de toneladas em um ritmo de esmagamento mais lento do que o esperado para a China e menor oferta da América do Sul, a semente de girassol esmagamento foi reduzido outros 2,2 milhões principalmente para a Ucrânia”, concluem os norte-americanos.

Fonte: Agrolink


Postar um comentário

0 Comentários