Últimas Notícias

UEM e Embrapa renovam convênio de melhoramento genético da mandioca

Matheus Teixeira


(c) - Pesquisador da Embrapa adianta que haverá lançamento da variedade BRS 429, com mais cor, sabor e mais saudável

O Câmpus Regional do Noroeste (CRN) da Universidade Estadual de Maringá (UEM), localizado em Diamante do Norte-PR, acaba de renovar seu convênio com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) sobre pesquisas de melhoria e desenvolvimento genético de mandioca, importante alimento na mesa dos brasileiros. Conforme adianta Marco Antonio Sedrez Rangel, pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura, “as equipes estão preparando o lançamento de mais uma variedade superior que promete agradar muito a todos: a BRS 429”.

“Somos gratos pela renovação do convênio com a Embrapa, pois esse projeto, além de atender produtores do Brasil, foi de grande importância para a nossa região: tivemos a oportunidade de atender produtores da agricultura familiar com ramas de altíssima qualidade”, expõe Alciony Andréia da Cunha Alexandre, diretora do CRN da UEM. Com a parceria firmada há cerca de uma década, famílias puderam melhorar a renda e consumir um alimento rico em energia e com maior quantidade de vitaminas A, B1, B2 e C.

Rangel relembra que, por meio da parceria, já foram selecionadas e lançadas as variedades BRS 396 e BRS 399. “Elas se caracterizam por ter polpa amarela e teores bem mais altos de carotenoides, que contribuem para a síntese de vitamina A no corpo. São variedades muito produtivas, adaptadas, resistentes às principais doenças, com sabor superior e aptas ao preparo de outros pratos, como bolos, salgados, chips, escondidinhos, nhoques, entre outros”. Chefs de cozinha têm testado e aprovado essas variedades e a procura por ramas para o plantio é intensa em todo o Brasil.

(c) - Equipe da UEM e da Embrapa avalia trabalhos e planeja atividades futuras

Por meio da colaboração com a Embrapa, no CRN da UEM é mantido um importante banco de variedades, adaptadas à região, para manutenção genética delas e atendimento às demandas dos produtores rurais. Os estudos para desenvolvimento de variedades de mandioca ocorrem na Fazenda Escola do CRN com participação do Centro Estadual de Educação Profissional do Noroeste (Colégio Agrícola, instalado no CRN), da Prefeitura de Diamante do Norte, do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar-Emater) e de produtores parceiros.

Fonte: Matheus Teixeira - UEM Imprensa

Matéria postada pelo jornalista Claudinei Prado - MTPS 23.455/SP e IFJ 674 BR

Postar um comentário

0 Comentários