Últimas Notícias

Mudança na legislação permite transferência de financiamento imobiliário em casas da Cohapar


Pessoas que compraram casas da Cohapar ainda em período de financiamento de mutuários da empresa poderão regularizar a situação e registrá-las em seus nomes. A mudança foi propiciada pela Lei Estadual 19.365 e pode beneficiar cerca de 10 mil famílias em todas as regiões do Paraná. O prazo de adesão vai até o final de 2019.

A mudança na legislação foi feita para resolver um problema crescente, que atualmente representa cerca de 40% do total de imóveis com financiamento ativo da companhia. A situação mais comum é a de pessoas que adquirem casas populares não quitadas sem qualquer contrato ou com contratos sem registro formal, os chamados “contratos de gaveta”, o que gera riscos tanto para o comprador quanto o vendedor.

Os interessados em regularizar a situação precisam atender a alguns critérios. Entre eles, os principais incluem não possuir outros imóveis e não ocupar residências cujos contratos originais de financiamento foram assinados há menos de dois anos.

Quem quiser aderir à iniciativa deve ligar para o telefone 0800 645 0055 de segunda à sexta-feira, entre as 8h30 e 12h e 13h30 e 18h. Também é possível procurar o escritório regional da Cohapar mais próximo da sua residência. A lista completa está disponível no site www.cohapar.pr.gov.br, na aba “Escritórios regionais”.

IMÓVEIS ABANDONADOS IRÃO A LEILÃO – Outro benefício propiciado pela nova legislação diz respeito à possibilidade de realização de um leilão público de casas financiadas pela companhia em situação de abandono. A aquisição de unidades ociosas é uma demanda antiga da população que compõe os cadastros da Cohapar e passou a ser feita de forma mais rápida e fácil.
A lista dos imóveis disponíveis para comercialização pode ser vista acessando o site www.cohapar.pr.gov.br. Basta selecionar a aba “Cidadão” e clicar em “Venda pública de imóveis”.

Para a companhia, as alterações ajudam a sanar um passivo relativo à carteira de crédito com a redução da taxa de inadimplência. Com o estímulo à regularização dos contratos, o efeito esperado é de que uma significante parcela do público alvo se interesse pela retomada do financiamento e quite o imóvel. A receita gerada, somada aos recursos arrecadados via leilão público, será reinvestida no desenvolvimento de novos projetos habitacionais.

Assessoria de Comunicação
Companhia de Habitação do Paraná

Postar um comentário

0 Comentários