Postado por Itma A. Iszczuk


A prefeitura de Nova Cantu decretou situação de emergência por causa da dengue pelo período de 120 dias (4 meses).

Com isso o município espera ter mais recursos do estado e do governo federal para ajudar no combate ao Aedes aegypti.


Com uma população estimada em 7.425 habitantes (conforme o último Censo do IBGE), a cidade enfrenta uma epidemia da doença. 


Na última semana, exames confirmaram a morte de uma mulher de 31 anos de idade, por dengue hemorrágica.


Nesta semana um servidor público municipal de 26 anos de idade, motorista da saúde, foi internado no Pronto Socorro de Campo Mourão com dengue hemorrágica.


Seu estado de saúde é gravíssimo. “Estamos mantendo contato com o médico que nos informou que ele está com problema de respiração, fígado inflamado, e plaquetas sanguíneas reduzidas.

Seu estado é muito grave”, preocupou-se o prefeito da cidade, José Carlos Gomes (DEM), que esteve no hospital na tarde desta terça-feira (3) visitando o servidor.

 Ele está internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

 Há ainda uma gestante com suspeita da doença no município.


“A situação está calamitosa, estou desesperado e estou vendo que vou ter que correr o risco de passar o fumacê por conta”, falou Gomes à TRIBUNA. 


De acordo com o decreto assinado pelo prefeito, de junho para cá a cidade já teve 468 casos notificados e 300 confirmados. 

O decreto estabelece a convocação de voluntários para reforçar ações de resposta a infestação e realização de campanhas de arrecadação de recursos junto à comunidade com objetivo de facilitar as ações de assistência à população afetada pela epidemia, sob coordenação da Defesa Civil do município.

 “Recomendam-se todas as ações possíveis e necessárias para a mobilização da sociedade, com a finalidade de reforçar as ações de combate aos focos do mosquito Aedes aegypti”, diz o documento.


O prefeito diz que não sabe mais a quem recorrer. Na última semana ele esteve em Curitiba e tentou via deputada Maria Victoria (PP) ajuda do Ministério da Saúde com a liberação de inseticida para o fumacê.

 Nesta semana, o deputado federal, Rubens Bueno, também acionou o Ministério da Saúde sobre a grave situação enfrentada pela cidade. “Só os arrastões não estão dando conta, temos que eliminar também os mosquitos, por isso precisamos do fumacê”,ressaltou Gomes.


O gestor afirmou que toda a administração está empenhada na eliminação dos focos do mosquito, arrastões vêm sendo realizados com frequência na sede do município e distritos. Segundo ele, todos os serviços não essenciais foram paralisados para que os servidores públicos municipais foquem na dengue. 


“A comunidade também precisa abrir os olhos para o perigo, a situação fugiu do controle e se nada for feito mais gente pode morrer”, alertou.


Devido a situação da dengue em Nova Cantu, todos os eventos com aglomeração de pessoas foram cancelados, inclusive a festa de aniversário da cidade, que era para ter sido realizada no fim de novembro. 


“A cidade está apavorada, lamentavelmente a situação fugiu do controle. Precisamos com urgência do fumacê”, ressaltou o prefeito.


Fonte - novocantu.com.br