O Governo do Estado liberou nesta quinta-feira (14) mais R$ 25 milhões para a continuidade das obras do Hospital da Criança de Maringá, no Noroeste do Paraná.
 A unidade terá 160 leitos, sendo deles 20 de UTI, com cobertura e atendimento de 21 especialidades médicas pediátricas, como oncologia, ortopedia, cardiologia, gastroenterologia, endocrinologia.
O repasse dos recursos foi formalizado pelo secretário de da Saúde do Paraná, Beto Preto, em solenidade na prefeitura de Maringá, com a participação do prefeito Ulisses Maia, prefeitos da região, comunidade e autoridades.
Beto Preto destacou que essa foi a terceira parcela de recursos disponibilizada para a construção do hospital. Ele afirmou que houve um esforço para conseguir os recursos para que a obra não fosse paralisada. 
"A determinação do governador Ratinho Junior foi para que fizéssemos economia diária para garantir os recursos. A obra não ficou esquecida. A população da região necessita desse tipo de atendimento", afirmou o secretário. A previsão total de investimentos é de R$ 153 milhões. O governo estadual já aportou mais de R$ 74 milhões na obra e agora contempla a terceira parcela.
MUNICÍPIOS – Com 23 mil metros quadrados, o Hospital da Criança vai ofertar serviços de alta complexidade pediátrica para a macrorregião Noroeste do Estado, abrangendo 115 municípios.
"Depois de pronto, o hospital vai contar com uma equipe preparada e de alto nível", disse Beto Preto. Reuniões serão feitas com o Ministério da Saúde e com os municípios da região para definir o custeio do hospital. 
Ulisses Maia, prefeito de Maringá, destacou que a região Noroeste não conta hoje com atendimento oncológico para as crianças.  "Hoje, as crianças precisam ser levadas a Curitiba. Com a nova unidade as famílias da região terão mais conforto", disse Maia. “Faltavam R$50 milhões para concretizar a obra e o governo atual conseguiu viabilizar”.
REGIONALIZAR - O secretário Beto Preto enfatizou que o Governo do Estado trabalha para regionalizar a saúde e diminuir distâncias, para que as famílias não precisem mais se deslocar longas distâncias para serem atendidas. “As pessoas devem ser atendidas perto de casa", afirmou.
Ele disse que no próximo mês será lançado um pacote de recursos para hospitais filantrópicos do Estado, que atendem pelo SUS. A Santa Casa de Maringá será  contemplada.
PARCERIAS - O Hospital da Criança de Maringá é o 12° do País construído em parcerias governamentais com a Organização Mundial da Família (OMF). O último foi implantado em Brasília. Os recursos foram viabilizados pelos governos federal e estadual, pela OMF e pelo município. 
Para a presidente da OMF, Deisi Kusztra, o Hospital da Criança vem para salvar vidas e se soma ao atendimento que o Paraná tem na área médica pediátrica. "A primeira infância precisa de um acompanhamento para o crescimento e desenvolvimento, assim como uma atenção especial ao calendário de vacinação. E o Paraná é um exemplo para o Brasil nesta atenção básica", disse.
Deisi destacou, também, o atendimento do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. "É um hospital de referência em câncer infantil, diferente de um departamento de atendimento à criança. As crianças precisam de um tratamento especializado, com um ambiente adequado para a autoestima delas e dos pais", completou.
PRESENÇAS - Também participaram do evento os deputados federais Ricardo Barros, Ênio Verri e Sargento Fahur; os deputados estaduais Evandro Araújo, delegado Jacovos, Homero Marquesi, Doutor Batista, e Goura; o diretor-geral da Secretaria da Saúde, Nestor Werner; os prefeitos de Ângulo,  Rogerio Aparecido Bernardo; de Flórida, Marcia Cristina Dall Ago; de Itambé, Vitor Aparecido Fedrigo; de Nossa Senhora das Graças, Francisco Lorival Maratta; de Ourizona, Manoel Rodrigo Amado; de Paiçandu, Tarcisio Marques dos Reis; de Paranacity, Sueli Terezinha Wanderbrook;, de Presidente Castelo Branco, Gisele Potila Faccin Gui; de São Jorge do Ivaí, Andre Luis Bovo, e de Sarandi, Walter Volpato.
Fonte - Agência de Notícias do Paraná