Últimas Notícias

Goioerense participou da criação do primeiro aplicativo de adoção do Brasil e que concorre no New York Festivals


        O Tribunal de Justiça do Paraná lançou há alguns meses o Adot, um aplicativo que tem o objetivo de aproximar os casais interessados em adoção das crianças e adolescentes que esperam ter uma família. O projeto foi criado pela parceria entre o Tribunal de Justiça do Paraná, por meio da Corregedoria-Geral da Justiça do Paraná e do Conselho de Supervisão dos Juízos da Infância e da Juventude (CONSIJ-PR), do Grupo de Apoio Adoção Consciente (GAACO) e da Agência BlaBlu. 
      O programador Juliano Cardoso Vieira, que é de Goioerê e está radicado em Curitiba, participou da criação do aplicativo e está comemorando duas vezes, uma pelo sucesso do APP, que está cumprindo com os seus objetivos, e pelo fato de o aplicativo estar na lista do New York Festivals, um dos maiores festivais de comunicação e publicidade do mundo.

   Através desse aplicativo, as chances das crianças e adolescentes que estão fora do perfil do pretendido pela maioria dos pretendentes do cadastro nacional de adoção crescem muito. Em sete meses já são mais de oito mil pretendentes cadastrados, com 52 pedidos de adoção e duas adoções efetivas de crianças de 10 e 11 anos de idade, que configuraram as primeiras adoções via aplicativo da história.
   O sucesso do aplicativo Adot é tanto que outros três estados já o estão utilizando e outros estão solicitando informações sobre o seu funcionamento, com o objetivo de adotá-lo.

   “Sem dúvidas tenho muito orgulho de ter participado do desenvolvimento desse aplicativo, que está fazendo a diferença na vida das crianças e adolescentes que sonham ter uma família e ainda estar participando do New York Festivals” – salienta Juliano C. Vieira.
Fonte: goio.news



Postar um comentário

0 Comentários