Últimas Notícias

"Vazio sanitário" começa a vigorar no Paraná para evitar aparecimento de fungo na soja


Os agricultores do Paraná estão proibidos de plantar ou manter plantas vivas de soja no estado, no período de 15 de junho a 15 de setembro. É o período do vazio sanitário – sem plantas de soja em propriedades rurais e estradas

Em nota, a Secretaria da Agricultura explicou que o objetivo da medida é evitar ou retardar ao máximo o aparecimento do fungo causador da ferrugem asiática, doença que ataca a cultura e causa sérios prejuízos aos produtores. O Paraná é o segundo maior produtor de soja do país, com volume de produção de 15,26 milhões de toneladas de grãos e área plantada de 4,5 milhões de hectares. Parceira na divulgação do vazio sanitário no Paraná, a Federação da Agricultura está distribuindo 300 mil folhetos de alerta, nas barreiras interestaduais, nas concessionárias de pedágio e transportadoras de soja, sobre o período da proibição.

A engenheira agrônoma Maria Celeste Marcondes, responsável pela área de Grandes Culturas do Departamento de Fiscalização e Defesa Agropecuária (Defis) da Secretariada Agricultura alerta os transportadores para que verifiquem se as carrocerias dos caminhões estão bem vedadas e tomem os devidos cuidados para não derrubar grãos nas estradas. A ideia é evitar que nasçam plantas nas margens das rodovias , que podem servir de hospedeiras do fungo.

O vazio sanitário foi adotado no Brasil em 2006. De acordo com a assessoria da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, a medida preventiva está implantada em 12 estados (Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Maranhão, Paraná, Bahia, Rondônia e Pará). A maioria deles adotou o vazio sanitário por 90 dias. Na Bahia, no Pará e Maranhão, o vazio sanitário deve durar 60 dias , a partir de 15 de junho.

Fonte: Rádio Educadora 1120

Postar um comentário

0 Comentários