Representantes do Banco Internacional de Desenvolvimento (BID), da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, reuniram-se nesta terça-feira (10), na sede da Cohapar, para conversar sobre o andamento das ações do programa Família Paranaense, no que se refere aos projetos em desenvolvimento pelo Governo do Paraná.
O Família Paranaense é um programa coordenado pela Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, que faz um trabalho interdisciplinar, onde estão envolvidas outras secretarias e companhias estaduais, entre elas a Cohapar, que tem trabalhado junto com a unidade gestora para realização das ações. A meta do programa é erradicar a pobreza e garantir uma oportunidade de vida melhor a 100 mil famílias paranaenses.
De acordo com Nicole Hauer, coordenadora do projeto na Cohapar, o papel da Companhia está voltado para obras de moradias e infraestrutura nas cidades que estão inseridas no programa. “O projeto abrange toda a requalificação urbana e regularização fundiária, com instalação da infraestrutura necessária para melhoria das condições de vida da população. A Cohapar também fará a recuperação ambiental de todas as áreas degradadas, garantindo o reflorestamento da mata nativa e evitando assim novas ocupações irregulares”, afirma Hauer.
Entre as diversas ações do programa, também cabe à Cohapar planejar e executar obras de urbanização e regularização fundiária de assentamentos precários e a construção de novas moradias para o reassentamento de famílias que moram em áreas de risco.
Durante a reunião, os técnicos realizaram uma revisão do projeto, com avaliação de prazos e datas. “Esse tipo de reunião é muito importante, pois temos que fechar os prazos e avaliar o andamento das ações junto ao agente financiador, que é o BID. Com isso, podemos deixar várias ações programadas para começar no primeiro semestre de 2017”, relata Marisa Teixeira, consultora do BID.
Os investimentos para os projetos de urbanização e regularização fundiária, estimados em R$ 48 milhões, serão destinados a áreas localizadas nos municípios de Cantagalo, Cruz Machado, Imbituva, Laranjeiras do Sul, Piraí do Sul, Prudentópolis, Rebouças, Reserva, Turvo e Wenceslau Braz. Os recursos, já aprovados, são provenientes de um acordo firmado entre o governo estadual e o BID.
Também participaram da reunião, representando o BID, Jason Anthony Hobbs, especialista em habitação e desenvolvimento urbano; Francisco Uchôa , especialista em proteção social; pela Cohapar, Maria Fernanda Lagana, arquiteta; Marcelo Santos, engenheiro; Lorena Mylla, assessora; Corina Ribeiro, técnica em desenvolvimento social;   além dos  técnicos da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, Letícia Reis e Ângelo Tadini.