Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Paraná confirmou em boletim divulgado nesta terça-feira (22) mais sete mortes por dengue no estado. Com as novas confirmações já são 27 os óbitos pela doença no atual período epidemiológico, que teve início em agosto de 2015.


As novas mortes ocorreram em Foz do Iguaçu (4), Paranaguá (1), Medianeira (1) e Santa Terezinha de Itaipu (1). Também já houve mortes nas cidades de Antonina, Curitiba e Maringá. Segundo a Sesa, porém, ainda há casos em investigação para definir se a morte foi ocasionada pela dengue.
O número de casos confirmados da doença subiu, em uma semana, de 14.275 para 15.946. Dos 399 municípios do Paraná, 276 já tiveram casos confirmados de dengue. Destes, 206 são casos autóctones, ou seja, adquiridos no próprio município.
Conforme o boletim, o número de cidades onde a doença já é considerada epidemia também subiu para 36. Entraram na lista as cidades de Capanema, Itaipulândia, Porecatu e Quedas do Iguaçu.
As outras cidades com epidemia constatada são: Rancho Alegre, Paranaguá, Munhoz de Mello, Santa Terezinha de Itaipu, Mamborê, Assaí, Cambará, Foz do Iguaçu, Santo Antônio do Paraíso, Itambaracá, São Miguel do Iguaçu, Tapira, Medianeira, Serranópolis do Iguaçu, Ibiporã, Jataizinho, Santa Isabel do Ivaí, Santa Helena, Leópolis, Braganey, Nova Aliança do Ivaí, Centenário do Sul, Sarandi, Colorado, Planalto, Boa Vista da Aparecida, Tuneiras do Oeste, Cafelândia, Guaraci, Capitão Leônidas Marques, Santa Cecília do Pavão.
Para um município estar em epidemia, é levado em consideração o número de casos de dengue registrados na cidade – no caso de mais de 300 casos para cada 100 mil habitantes, já é considerada situação epidêmica.
Zika
Os casos de vírus da zika também subiram de 129 para 190 nesta semana. Os dados mostram que, destes casos, 16 são de mulheres grávidas. As mulheres são residentes em Colorado (8), Curitiba (1), Irati (1), Campo Mourão (1), Paranavaí (1), Maringá (1), Londrina (1), Rancho Alegre (1) e Santa Helena (1).
O caso de Londrina, segundo a Sesa, evoluiu para um aborto espontâneo do feto na 14ª semana de gestação. Foi o primeiro caso confirmado de que a zika causou um aborto no estado. A paciente passa bem.
Chikungunya
O boletim ainda aponta que houve aumento nos casos confirmados da febre chikungunya. Agora, há 40 casos, contra os 32 divulgados na última semana.
Fonte: G1