A colheita e a venda do pinhão estarão liberadas a partir de 1º de abril, de acordo com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP). O período de proibição serve para proteger a reprodução da araucária, que é a árvore símbolo do Paraná, além de garantir o consumo sustentável.

As normas e instruções referentes ao pinhão estão estabelecidas na portaria do IAP nº 046/2015. Além da data para início da colheita, a regulamentação também proíbe, em qualquer data, o consumo e venda das sementes verdes, quando o pinhão apresenta cor esbranquiçada e alto teor de umidade. Nesse estado as pinhas podem conter fungos prejudiciais à saúde.

O IAP também esclarece que é preciso esperar os frutos caírem para fazer a colheita, pois é o momento em que a probabilidade da pinha já ter completado o seu ciclo de maturação é maior.

De acordo com as normas ambientais, a pessoa que for flagrada na venda, transporte ou no armazenamento do pinhão antes de 1º de abril está sujeita a responder a processos administrativo e criminal, além de receber auto de infração ambiental e multa de R$ 300,00 para cada 60 quilos de pinhão.

Denúncias sobre a venda irregular de pinhão e demais infrações ambientais podem ser feitas no link “Fale Conosco”, no site do IAP, ou diretamente nos Escritórios Regionais do órgão ou na Polícia Ambiental.

Fonte: Bem Paraná - Via CRN1